A tecnologia trouxe inúmeras inovações para a área da saúde, mas os mais modernos equipamentos e exames sozinhos não são capazes de dar diagnósticos e resolver problemas. O que realmente traz segurança e eficiência ao tratamento é uma boa consulta médica e a relação de confiança que se estabelece entre o profissional e o paciente.

De acordo com o Dr. Wander Cyrio Nogueira, urologista com 40 anos de experiência e diretor do Grupo São José Saúde, o que garante um diagnóstico correto é a conversa que o médico tem com o paciente enquanto ouve às queixas que ele tem e o exame clínico realizado próprio consultório. “Ao escutar do paciente o que ele sente, muitas vezes já sabemos qual o problema dele, então fazemos um exame clínico que, na maioria dos casos, já basta para confirmar o diagnóstico. Os exames complementares como os laboratoriais e de imagens, servem somente para constatar a extensão do problema”, explica.

Além se serem somente um complemento, alguns exames se realizados em excesso ou em momentos inadequados, ao invés de ajudar no diagnóstico, podem acabar prejudicando a saúde do paciente. “Uma pessoa que faz vários raios-x e tomografias em um período de tempo muito curto, por exemplo, pode receber uma carga de radiação muito alta e isso pode acarretar ou mesmo piorar alguns problemas”, destaca o neurologista Dr. Gilberto Nakagawa.

Então, para garantir sempre o melhor tratamento, escolha um médico que lhe agrade e procure sempre se consultar com ele. Pois se você trocar de profissional com freqüência ou tiver o hábito de se consultar somente no Pronto Socorro (PS) não conseguirá estabelecer uma relação de confiança que é a chave para um tratamento bem sucedido.